Adote, não compre.

Processed with VSCOcam with g3 presetDe uns anos para cá, sinto que mudei muito. Sinto que saí de uma bolha de senso comum, e que agora penso com menos influências. Uma das coisas que para mim era super normal e hoje acho absurdo é comprar um animal de estimação. Não sei porque as pessoas acham isso algo normal, na verdade. Por que seria normal pagar por uma vida, como se fosse um objeto? Também achava normal e fofo ter passarinhos. Por que é normal prender um animal que foi feito para voar, um ser muito mais livre do que nós, em uma gaiola? Achava normal porque é o que a maioria pensa. O mundo menospreza demais a vida de um animalzinho, e para muitos é só mais um item de decoração, não uma vida, que também sente.

Eu já tive uma gata comprada. Na época eu era bem pequena, tinha uns 8 anos, e claro que não passou na minha cabeça que aquilo era errado. Eu a amava muito, e também sofri muito quando a perdi. No meio disso, conheci várias ONGs de proteção animal e, dentre elas, a Catland. Sempre amei animais, principalmente gatos, e a ideia de um lugar que resgatava animais das ruas e que você poderia visitar, era maravilhosa. Sempre tive peso na consciência por não ajudar nenhuma dessas ONGs, e o meio que encontrei de ajudar foi adotar um gatinho, dando amor e carinho, e também mais um espaço para que eles pudessem salvar a vida de mais um bichinho.

O sentimento que tive ao escolhê-lo e ver a felicidade das voluntárias ao parabenizá-lo, como se ele tivesse ganho na loteria, é indescritível. É indescritível o sentimento de ouvir alguém te dizer que você acabou de salvar uma vida. É indescritível o que eu sinto quando olho para ele e penso que ele agora tem a própria casa, com sua própria comida, seus próprios donos e saber que ele não corre mais o risco de ser judiado nas ruas, envenenado, atropelado.

Adotar um animal foi possivelmente a melhor ação que já tive na vida. E o melhor de tudo é que não foi só uma boa ação para uma outra vida; foi para mim mesma também. Amor não se compra. Claro que você vai amar um animal que comprar, e o animal vai te amar de volta. Mas amor não tem preço. O que você prefere: saber que salvou uma vida ou saber que ajudou a alimentar um comércio que muitas vezes é cruel? Um animal de rua é tão lindo quanto qualquer gato ou cachorro de 5 mil reais. Todos tem a mesma pureza. Todos tem o mesmo amor para dar.

Adotar é amor. É mudar duas vidas: a sua e a dele.

E você, acha que uma vida tem preço?

Anúncios

E se hoje fosse seu último dia?

a vida é curta, e não tem data de validade

Esse ano tem sido de muitas perdas, e isso tem me feito repensar um pouco a vida. Tem feito com que eu valorizasse mais quem eu amo, porque eu percebi, como diz minha mãe, que “a vida passa e não espera ninguém”. Ela passa, e acaba sem avisar, sem data de validade. Acho que a pior coisa da vida é não saber quando ela vai acabar. É pensar que todos nos vamos bem velhinhos, e de repente ir jovem. É não saber quando vamos perder quem amamos, e mesmo assim nós arriscamos e discutimos. E se não der tempo de perdoar? E se não der tempo de pedir perdão?

Eu, particularmente, tenho um gênio péssimo. Sempre me estressei muito fácil, sempre discuti muito fácil, e sempre fiquei de birra. Hoje eu paro e penso que sempre tive muita sorte em ter tempo de pedir desculpas e de ser desculpada. Muita gente não tem essa sorte, e eu não quero ser um deles.

E se hoje fosse seu último dia? Você se orgulharia de tudo que fez? Teria dito “eu te amo” pra todos que ama? Teria perdoado e pedido perdão?

A vida não vem com data de validade. Não sabemos quando vai acabar. Não só a nossa vida, mas a de quem amamos também. A vida realmente é muito curta, e não vale a pena desperdiçar esse tempo com coisas ruins.

Hoje, diga eu te amo, abrace, peça perdão, agradeça, mesmo que não vá ser correspondido, porque o que vale é estar bem com a sua própria consciência. Faça tudo o que tiver vontade, corra atrás de quem e do que quiser. Não deixe para depois. Amanhã pode ser tarde demais. Não corra o risco de se arrepender.