Você cortaria seu cabelo por uma boa ação? #doeCabelo #doeAmor

Olá gente bonita!

Hoje quero tratar de um assunto que já não é novidade: cortar o cabelo.

Mas o foco não é cortar “só as pontas” e muito menos a estética. O que quero focar aqui é a doação.

Mas doação de cabelo?! Sim! De cabelo.

Por volta de uns 2 anos atrás, comecei a ouvir falar sobre projetos de montagem e doações de perucas para mulheres com câncer, o que me fez começar a pensar um pouco na vida.

Todo mundo que me conhece sabe que sou muito vaidosa, daquelas a ponto de não sair de casa sem rímel e corretivo. Todo mundo também sabe que amo meu cabelo e que cuido muito bem dele (caso você ainda não tenha visto alguns posts sobre cabelo por aqui…). Quem me conhece há mais tempo sabe que amo cabelo comprido e que nunca deixaria o meu curto.

Mas acontece que depois de conhecer esses projetos, eu cortei. Justamente por ser muito vaidosa.

Acontece que os projetos me fizeram começar a pensar “e se eu tivesse câncer? E se meu cabelo também caísse todo?”. Por mais fútil que isso possa soar, meu cabelo é uma parte minha bem importante na minha vida. Me faz ser mais confiante, me sentir mais bonita. E se eu o perdesse?

Claro que existem mulheres que tem auto-estima suficiente para não se deixarem abalar pela falta de cabelo, o que é ótimo, porque toda mulher é linda de qualquer jeito. Mas para a maior parte delas, a perda dos cabelos é a pior parte do tratamento; ver o cabelo cair, não poder fazer nada e se sentir infeliz ao se olhar no espelho, sem feminilidade.

E é para isso que esses projetos foram criados. Esses projetos aceitam doações de cabelo para montar perucas e doar para essas mulheres (e crianças) para que elas possam recuperar sua auto-estima. E eu achei isso lindo. E resolvi doar. Porque eu sei que, por mais curto que meu cabelo tenha ficado, ele iria continuar crescendo e não iria cair. Por mais curto que ficasse, eu continuaria com meu cabelo.

Doei 30cm de cabelo. Fui disso:
image

Para isso:
image

E não me arrependo. Porque eu sei que ajudei a deixar uma mulher mais feliz, mesmo não sabendo quem seja. Porque, na verdade, não importa quem seja.

Isso já faz quase um ano, cortei em maio do ano passado, e ainda me sinto bem pelo que fiz. Afinal, cortar o cabelo é indolor e ele já cresceu por volta de seis dedos. Por que eu não doaria? E se fosse eu no lugar daquelas mulheres?

É o tipo de coisa que não dói e não vai te fazer falta. E provavelmente nem vai te custar nada, porque os projetos têm salões parceiros que dão desconto no corte para quem for doar ou até cortam de graça.

Além disso, é o tipo de coisa que com certeza vai te fazer bem. Você pode até não gostar da ideia de cortar o cabelo por gostar dele comprido, por não querer curto, etc. Mas pense: é melhor deixar ele curto para fazer o bem para alguém ou ser uma das mulheres que querem uma peruca porque perderam seus cabelos por uma doença?

Os projetos que conheço são:

Rapunzel Solidária (foi para onde doei) – mínimo de 15cm.

Caixa postal: 57007 CEP: 04089-972 São Paulo-SP

Cabelegria – mínimo de 20cm.

A/C Cabelegria
Avenida Parada Pinto, 3420, Bl. 06, Ap. 33
Vila Nova Cachoeirinha
São Paulo – SP
02611-001

Os dois projetos aceitam qualquer tipo de cabelo, inclusive com química. Ambos requerem que o cabelo esteja preso e seco e que seja enviado em um saco plástico.

Para mais infos sobre os projetos, é só clicar no link de cada um.

Doe também! Juro que não vai doer e que vai aquecer seu coraçãozinho.

#doeCabelo #doeAmor